STJ: GAECO não ofende o princípio do promotor natural